quarta-feira, 2 de abril de 2008

Juno, a garota





Imatura, inteligente, insegura, de personalidade forte, carinhosa, e deboxada. Estas são características de jovens de ambos os sexos, paradoxais, chatos e adoráveis. Juno é assim, uma adolescente verdadeira. A personagem que intitula o filme é interessante graças não apenas ao roteiro vencedor do Oscar, mas também a soberba interpretação de Ellen Page, a nova queridinha de Hollywood que antes já encheu os olhos de público e crítica pelo denso Menina má ponto com. Juno é uma garota de 16 anos que engravida do melhor amigo, descoberta a gravidez ela decide entregar o bebê para adoção; no jornal encontra um casal perfeitinho ( desses de propaganda de margarina) “ bonitos até em foto preto e branco” que são escolhidos para serem os novos pais do bebê.
O roteiro da ex stripper Diablo Cody cria uma personagem complexa. Juno foge daquele estereótipo ‘ adolescente revoltadinha com a família’ ou que pertence a um determinado grupo ‘ Popular, nerd, esportista “. Apesar do tom bastante crítico que sempre esbarra no deboche, a garota é simpática e mantém uma boa relação com a família, inclusive com a madrasta.
Juno x Pequena Miss Sunshine. Ambos são filmes pequenos, de baixo orçamento, utilizam personagens do cotidiano que fogem de uma suposta ‘ normalidade', mas tem na família todo o apoio para seus objetivos, sejam eles quais forem.

2 comentários:

Priscila Moraes disse...

Ainda não consegui ver Juno =/

Boa semana!

Priscila Moraes disse...

Assisti Juno essa semana. Adorei o filme.

Vejo vc na aula. =)