sexta-feira, 21 de março de 2008

A verdadeira miss





Como é bom ligar na telecine no intervalo de um filme para o outro. Melhor ainda quando a próxima atração é tão boa quanto ‘ Pequena Miss Sunshine’; tive a sorte de assisti-lo pela segunda vez hoje, em pleno feriado. O road-movie da garotinha simpatica que parte com sua família nada convencional para um concurso de miss na Califórnia, oscila entre o drama e a comédia sem cair no pieguismo e na escatologia hoje tão comuns nesses gêneros. Como imaginar uma família tão bizarra e politicamente incorreta (e MUITO adorável) num concurso de miss bem chatinho cheio de regras? O que uma garotinha sem os padrões de beleza das demais participantes faria num concurso desse? Padrões de beleza. Padrões de comportamento.Padrões. Padrões. Todos em busca dos padrões. “A vida é um concurso de miss” afirma um dos personagens. Deve-se seguir modelos de comportamento, de vestuário e de beleza para fugir do rótulo de fracassado e alcançar o sucesso. A história mostra que a união de uma família em torno de um objetivo comum e muito mais forte que todas as buscas de status social num mundo de aparências. Viva a exentricidade da família. Viva um dos filmes mais adoráveis que surgiram nos últimos anos


Ps:. Não gosto dessas comparações Pequena Miss Sunshine x Juno. Certo que ambos são filmes de baixo orçamento que fizeram sucesso e que possuem personagens ‘ normais’ ‘ reais ‘ tratados de forma sensível. As comparações podem até existir, mas sem essa de dizer qual é o pior, qual é o melhor. Ainda não assisti ao Juno, mas semana que vem ele não me escapa!Se por acaso eu vier a compará-los prometo fazer da melhor forma.

5 comentários:

Net Esportes disse...

ainda não vi esse, essa semana o telecine ta meio fraco

Irla disse...

'Pequena...' foge dos esteriótipos e traz o cinema mais perto do cotidiano sem finais felizes com pessoas bonitas. Um filme de pessoas comuns.Adorável!!!

Quanto ao Juno tbm não pude ainda conferir =/

Futuros jornalistas disse...

Bruno, estou adorando o seu blog. Acho que você acertou no tom - pessoal e opinativo, principalmente, sem deixar de ser informativo. A frase do Almodovar na abertura caiu super bem para definir sua própria visão sobre cinema e dizer a que você veio, no blog.
Quanto a Juno, o filme é excelente. Para o meu gosto, até melhor do que a Pequena Miss Sunshine. Incrível como tudo que você acha que vai acontecer acontece diferente. A linguagem, a construção dos personagens, tudo tem um toque novo. Bem, não entendo muito de cinema, mas como espectadora diria que é imperdível. Depois volto aqui para ver o que você achou. Larissa

Nat. disse...

Pequena Miss Sunshine se parece com Juno pelo simples fato de ambos tratarem de assuntos comuns sim, mas principalmente por serem tragicomédias. Esse tipo de filme traz uma sensação maravilhosa de não saber o que se está sentindo enquanto o filme rola. Ao mesmo tempo em que eu estava rindo tinham pessoas chorando do meu lado, por exemplo.

Nossa, muito bom mesmo!
Quem quer se divertir consegue, quem quer se emocionar, também. Quem quer discutir problemas sociais consegue, quem quer simplesmente abstrair, também!

Lutemos, comunicólogos, por mais filmes assim: multifuncionais!

;* Bruno!

Futuros jornalistas disse...

Gostei do seu blog posso falar que a o primeiro filme é bem da para assistir várias vezes e Juno vou assistir essa semana...

sua colega de turma Marcia Pereira